Mitos e Verdades sobre Marca-passos

2019-03-29
Mitos e Verdades sobre Marca-passos

Mitos e Verdades sobre Marcapassos

  • Detectores de metal: portas de bancos ou de aeroportos podem detectar o metal da caixa do gerador do marcapasso, mas não causam qualquer prejuízo ao aparelho ou ao seu desempenho.
  • Celular: portadores de marcapasso podem utilizar celular normalmente. Há, no entanto, a indicação de que o uso seja realizado o lado oposto ao do marcapasso.
  • Microondas: o forno de microondas pode ser utilizado, sem problemas. Indica-se, no entanto, que o portador de marcapasso não fique encostado no microondas durante seu uso. Outros aparelhos que fazem uso de microondas, como controle remoto, por exemplo, podem ser utilizados, sem restrições.
  • Vibrações: a vibração gerada por certos aparelhos, como cortadores de grama, banheiras de hidromassagem, barbeadores, massageadores, etc, é inofensiva aos marcapassos e desfibriladores (CDIs).
  • Viagens: são permitidas aos portadores de marcapasso. É importante levar a carteirinha do Marcapasso ou Desfibrilador (CDI) e se informar sobre o sistema de atendimento de emergência do local de destino. Aconselhar-se com seu médico e solicitar a indicação de um especialista no local da viagem é prudente, principalmente no caso de viagens longas.
  • Exames: Raio X, tomografia ou ultrassom podem ser realizados sem restrições. PORÉM, nem todos os tipos de marcapasso permitem a realização de ressonância magnética. Atualmente, a maioria dos marcapassos permite a realização deste exame, mas os dispositivos mais antigos não. Assim, é fundamental consultar seu Cirurgião Cardiovascular. Se o seu marcapasso não for compatível com a ressonância magnética, este procedimento é totalmente contraindicado.
  • Colchões Magnéticos: devem ser evitados, pois podem acelerar o desgaste da bateria do marcapasso, antecipando a necessidade de sua troca.
  • Dirigir: os marcapassos em geral não restringem a possibilidade de dirigir. Porém, nos casos dos desfibriladores (cuja função é a de evitar uma parada cardíaca), é importante discutir com o Cardiologista Clínico se há risco em dirigir ou não, devido ao seu potencial risco de parada cardíaca.

Vale lembrar que o implante de marcapasso é um procedimento cirúrgico. Apesar do baixo risco, deve ser realizado por um Cirurgião Cardiovascular, pois este é o profissional habilitado para corrigir e tratar, de imediato, todas as possíveis complicações que advêm deste tipo de procedimento.